Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas da Cidade de São Paulo


Você está aqui: Home

Notícias em destaque




Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas de São Paulo,já apresentou projeto de “MOTOVIA” para marginal Tietê e diversas avenidas de São Paulo

As marginais e a avenida Teotônio Vilela, na zona sul de São Paulo, são apenas alguns exemplos de locais cuja periculosidade para motocicletas mostram a urgência da implantação de mais motofaixas na cidade. Segundo o presidente do SindimotoSP, Aldemir Martins, o Alemão, a proibição da circulação de motos em regiões da cidade é discriminatória, uma vez que a maioria dos motociclistas são trabalhadores de baixa renda ou pessoas que querem mais rapidez no trânsito. Além disso, essas pessoas, ao usarem moto, acabam “descongetionando” a cidade, já que a moto ocupa menos lugar que um caro no trânsito. A motofaixa começou a ser implantada na cidade em 2006, na avenida Sumaré, e no ano passado foi inagurada mais uma na Rua Vergueiro. E no mesmo período o número de motocicletas mais do que duplicou. São apenas 13 quilômetros de motovias. “A prefeitura prioriza o carro e esquece os motoqueiros” diz Alemão.
Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas de São Paulo,já apresentou projeto de “MOTOVIA” para marginal Tietê e diversas avenidas de São Paulo



sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Sindimoto e PM preparam ínicio da fiscalização ao motoboy em São Paulo

Alemão e o Comandante Charles, do Policiamento da Capital
Reunião foi seguida da cerimônia de entrega de motos para ROCAM O Sindimoto-SP e representantes do comando da Polícia Militar do Estado de São Paulo se reuniram no final do ano para iniciar conversas sobre a fiscalização da circulação de motoboys e a adequação às legislações que estão e as que vão entrar em vigor em breve. Segundo Aldemir Martins, o Alemão, presidente do sindicato, a idéia é trabalhar numa agenda de reuniões bimestrais entre as partes para melhor acompanhar todo o processo, garantindo o bem estar dos trabalhadores do motofrete. “Sugerimos também que sejam convidados representantes de sindicatos da região metropolitana, porque a circulação de motoboys entre as cidades é intensa e assim todos podem se beneficiar dessa aproximação”, explicou.
Um dos pontos levantados pelo Sindimoto-SP foi a necessidade de maior sutileza na abordagem do trabalhador. “Não somos contra a abordagem, é o trabalho da PM e também ajuda a prevenir o roubo de motocicletas, mas é preciso que seja com respeito porque é horrível quando o trabalhador se sente tratada como bandido”, explica.
Em seguida à reunião, o presidente do sindicato foi convidado a participar da cerimônia de entrega de 315 motocicletas compradas pelo governo para a Rocam, que é a unidade de policiamento sobre duas rodas. “A moto entra em lugares mais difíceis e favorece o policiamento na cidade”, comenta Alemão.

Alemão, presidente do Sindmoto- SP; Carlos Ortiz, Secretário do Trabalho e emprego e Natu, presidente do Sind. Motoboys e Motociclistas de S.J. do Campos



sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Senado aprova adicional de periculosidade para motociclistas

Alemão: já dizia que R$ 1086,00 era o mínimo aceitável
Mototaxista, motoboy, motofrete serão incluídas CLT como como perigosas
Projeto de lei que prevê pagamento de adicional de periculosidade para os motociclistas foi aprovado no dia 16 de novembro pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS), em turno suplementar . Assim, as atividades de mototaxista, motoboy, moto-frete e o serviço comunitário de rua poderão ser incluídas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT - Decreto-lei 5.452/43) como perigosas, o que garantirá o benefício a esses trabalhadores. A matéria já foi encaminhada para exame dos deputados, informa a Agência Senado. Pela CLT, o benefício equivale a 30% do salário, ou seja, hoje seria equivalente a R$ 250,00, o que elevaria o salário atual a R$ 1.086,00. O presidente do sindicato que representa os motoboys empregados – Sindimoto SP, Aldemir Martins, o Alemão, há alguns meses já vinha defendendo esse valor como mínimo aceitável, mas devido à resistência dos patrões e à interferência negativa do outro sindicato que representa só os autônomos, mas quer abocanhar toda a categoria, ilegalmente – foi difícil emplacar a proposta para o período 2010 – 2011.
A proposta atualiza a CLT, após a promulgação da lei que regula a profissão de mototaxista e motoboy ( Lei 12.009/09). Atualmente, a legislação trabalhista considera perigosas as atividades ou operações que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem contato permanente com inflamáveis ou explosivos em condições de risco acentuado.


A Prefeitura de São Paulo, através da Subprefeitura do Ipiranga, RETIROU a FORÇA e sem autorização a "FAIXA CONTRA PROIBIÇÃO DE MOTOCICLETAS NAS AVENIDAS DE SÃO PAULO" estendida no portão na Sede Social do SINDIMOTO/SP.

O Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas Empregados de São Paulo-(SINDIMOTO/SP) vem a público denunciar uma agressão sofrida pela Sub-Prefeitura do Ipiranga que , na data de 12 de novembro de 2010(sexta-feira á noite!), desrespeitando os direitos Constitucionais assegurados na Carta Magna á todos os brasileiros, independente de credo,religião, cor ou opção política, mandou vários trabalhadores por volta das 19:15 ms , retirarem do portão de nossa sede UMA FAIXA COM OS SEGUINTES DIZERES;

“A PREFEITURA DE SÃO PAULO, QUER PROIBIR MOTOCICLETAS DE TRANSITAR PELAS RUAS DE SÃO PAULO" ABAIXO A DITADURA!QUEREMOS LIBERDADE! FORA SERRA, FORA KASSAB!.

Sem nenhuma justificativa legal e amparado pelas foices e pela GCM a distância ( conforme testemunhas local!) dezenas de homens com uniforme laranja e foices aproximaram-se da sede da entidade ,(que ainda encontrava-se atendendo os Trabalhadores Motociclistas) e liderados por um cidadão sem nenhuma identificação , arrancaram literalmente a faixa que, expressava o sentimento de indignação e contrário a proibição dos trabalhadores Motociclistas de transitar com as suas motocicletas pelas avenidas da cidade proposta pelo Prefeito .Em seguida evadiram-se rumo ao caminhão que, estrategicamente fora estacionado distante da sede social.Após se informado pelo funcionário que , ainda tentou impedir a arbitrariedade dos "agentes" da prefeitura e por pouco não fora agredido, o presidente do Sindicato(Aldemir Martins) pediu a notificação bem como a identificação do tal "agente Vistor" que coordenava a brutalidade.Lembrou-lhe aos gritos diante de várias pessoas que presenciaram a covarde ação, dos direitos constitucionais ressaltando a "liberdade de expressão" e que iria denunciar tal atitude aos meios de comunicação.O tal Agente simulou pegar algo na Blusa, quase em um claro gesto de ameaça e saiu rindo sarcasticamente dizendo que " seríamos notificado em breve"....Segundo o presidente Alemão " Se restava dúvida quanto a esse governo Kassab, a agressão de seus subordinados da Subprefeitura do Ipiranga e o desrespeito a nossos direitos civis assegurados na Constituição Brasileira, bem como a afronta a milhares de Trabalhadores Motociclistas (que eles insistem em chamar de "motoboys" ou "motofrete"!) ficou tão clara quanto a sua ineficiência na implementação das Vias Exclusivas na cidade de São Paulo a qual chamamos , "MOTOVIAS" e na redução das mortes e acidentes envolvendo MOTOCICLISTAS...."

Mas ainda resta uma esperança - enfatizou: uma vez que o Ministério Público Estadual anunciou recentemente na televisão, "Causar estranheza as quase 500 mortes envolvendo motociclistas somente o anos passado na cidade e a Prefeitura nada ter realizado de concreto para prevenir ou evitar novos acidentes e prometendo investigar..."

Informou ainda que uma nova faixa com os mesmos dizeres foi providenciada e horas depois retirada na “surdina”( provavelmente pelos mesmos COVARDES e BATE-PAUS DO CAPACHO DA SUBPREFEITURA a mando DE SEU CAPITÃO DO MATO, GILBERTO KASSAB!) de nossa sede social localizada na Rua Coronel Diogo,1496-Aclimação.

A luta Continua,
Aldemir Martins ( Alemão) www.motoboy.org.br
sindicato@motoboy.org.br (11)92923589


ACORDA TRABALHADORES E TRABALHADORAS BRASILEIROS!

VAMOS A LUTA. HASTA LA VITÓRIA!!!

The Economist publicou!
Situação do Brasil antes e depois: Itens
Nos tempos de FHC Nos tempos de LULA
Risco Brasil 2.700 pontos 200 pontos
Salário Mínimo 78 dólares 210 dólares
Dólar Rs$ 3,00 Rs$ 1,78
Dívida FMI Não mexeu Pagou
Indústria naval Não mexeu Reconstruiu
Universidades Federais Novas Nenhuma 10
Extensões Universitárias Nenhuma 45
Escolas Técnicas Nenhuma 214
Valores e Reservas do Tesouro Nacional 185 Bilhões de Dólares Negativos 160 Bilhões de Dólares Positivos
Créditos para o povo/PIB 14% 34%
Estradas de Ferro Nenhuma 3 em andamento
Estradas Rodoviárias 90% danificadas 70% recuperadas
Industria Automobilística Em baixa, 20% Em alta, 30%
Crises internacionais 4, arrasando o país Nenhuma, pelas reservas acumuladas.
Cambio Fixo, estourando o Tesouro Nacional. Flutuante: com ligeiras intervenções do Banco Central
Taxas de Juros SELIC 27% 11%
Mobilidade Social 2 milhões de pessoas saíram da linha de pobreza 23 milhões de pessoas saíram da linha de pobreza
Empregos 780 mil 11 milhões
Investimentos em infraestrutura Nenhum 504 Bilhões de reais previstos até 2010
Mercado internacional Brasil sem crédito Brasil reconhecido como investimento grande
¨

SOMOS BRASILEIROS E NÃO DESISTIMOS NUNCA !.

QUEREMOS UM BRASIL DECENTE: PT PARA PRESIDENTE!


CARTA ABERTA DE REPUDIO AS MORTES DOS TRABALHADORES MOTOCICLISTAS Abril 2010

O BRASIL DA INJUSTIÇA.
Motoboy foi torturado por PMs, diz secretário
\"Não temos dúvida alguma de que ele sofreu tortura, e que foi a tortura que levou o rapaz à morte\", afirma Ferreira Pinto

Mais um caso de tortura, descriminação e puro preconceito racial no Pais ganhou as manchetes nos últimos dias. Mais uma pergunta me intriga: “aonde estão os representantes do “TORTURA NUNCA MAIS”.Digo honestamente, se for apenas para os companheiros que sofreram nos passado na luta contra a ditadura e por um Pais livre, vou abrir mão de meus princípios revolucionários da esquerda e me aliar a direita, pois assim(presumo-eu!) estarei livre apenas com uma “carteirada” e uma “canetada” dos opressores e ditadores.Se for, apenas para compensar financeiramente ( e acho justo!) os perseguidos e humilhados, OS TORTURADOS pelo Bates-paus e soldadinhos capachos do estado, “vou me jogar” como falamos em nosso linguajar (dos “motoboys”!).Quero ver ex-companheiro Goldman ( atual governador de SP e ex-comunista do PCB) se agora com a caneta na mão o Senhor fará ao menos jus em ter lutado pela nossa famosa “REVOLUÇAO”.Afinal, o ex-governador Alckmin com todos os seus defeitos de administrador, sancionou a lei da “expulsão sumaria” ou estou enganado? Expulsa esses animais truculentos e assassinos do quadro do Estado imediatamente e os deixe para se julgados pela JUSTIÇA COMUM como todos nós, cidadãos comuns.Um absurdo em pleno Estado de DIREITO democrático sermos coniventes com essa atitude...AJA RAPIDO ou ainda esta com o trauma da ditadura?!...deixe de ser mole companheiro, AVANTE.QUANTO ao “TORTURA NUNCA MAIS”, NÃO É O PRIMEIRO CASO que resolvem fazer vistas grossas e fingir que não é com vcs.Defendo a aplicação da lei para todos e aqueles que se intitulam defensores da DEMOCRACIA, precisam mostrar a “cara” e não brincar de “esquerda brasileira”.Lamento pela vida do trabalhador motociclista Eduardo Luis assassinado pelos Policiais Militares em um ação típica de covardes mas não generalizo, (apesar da demora em divulgar o assassinato!)e se o companheiro Goldman(PSDB) não se pronunciou pelo menos o seu Secretario Ferreira Pinto classificou como “abominável” a situação.Agora e a imprensa?...continua a mesma do “oba-oba” e depois some.Quer ver um exemplo de “aí eu não mexo!”. No dia 5 de janeiro de 2008, o promotor de justiça PEDRO BARACAT GUIMARAES PEREIRA assassinou com 10 tiros de 9 mlm, o trabalhador motociclista FIRMINO BARBOSA na av:republica do líbano no Ibirapuera.Apesar das incoerências e controvérsias da reação e ação do promotor e das declarações dos policiais militares que atenderam a ocorrência na noite em entrevistas afirmando que “não havia nenhum relógio com o “MOTOBOY”, LEIAM na integra a “denuncia” que o também promotor e Procurador de Justiça do Ministério Publico “ofereceu” (ou será deu!) ao denunciar por “homicídio culposo” o “colega” PEDRO BARACAT no site do Tribunal de Justiça sob processo n°170.189 protocolado 2746/08 mas já antecipo que ele foi absolvido sumariamente “no julgamento”.Portanto quero registrar aqui os meus sentimentos de pesar a familia do trabalhador Motociclista EDUARDO LUIS PINHEIRO DOS SANTOS e do FIRMINO BARBOSA que em comum eram jovens, “MOTOBOYS” E NEGROS e talvez por isso, como muitos ainda hoje, pagam com a vida pela cor da pele e condição social que o PAIS e a BURGUESIA nos permite ter acesso.O BRASIL PARA TODOS não é para negro nem para motoboys...aliás por onde anda o promotor FRANCISCO CEMBRANELLI para recorrer da decisão do MP.

PS: No dia 8 de maio de 2010, Policiais Militares de São Paulo assassinaram o jovem Alexandre Menezes dos Santos de 25 anos, Trabalhador MOTOCICLISTA, NEGRO, morador da PERIFERIA e foram presos por: “HOMICIDIO CULPOSO”( sem intenção de matar!) Após o perseguirem por não obedecer ordem de parada em um blitz e o abordarem defronte a sua residência e diante dos gritos de apelo da MÂE, o jovem foi espancado covardemente pelos “policiais” que alegaram na delegacia terem usado da “força excessiva” para imobiliza-lo.Alexandre sofreu traumatismo craniano e asfixia mecânica...., sendo socorrido já morto por seus algozes que não satisfeitos , “alegaram ter encontrado uma arma com o jovem ...no hospital.

Vai ver que não tinha relógios do paraguay para colocar em seu bolso.... QUE PAÍS É ESTE!!! CADÊ A JUSTIÇA PRESIDENTE LULA, GOVERNADOR GOLDMAN, DIREITOS HUMANOS DA OAB,TORTURA NUNCA MAIS E MOVIMENTO DOS NEGROS.
O Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas de São Paulo, lamenta e se solidariza com a dor da perda dos familiares, em especial as MÃES que certamente, sofrem bem mais.

A LUTA CONTINUA E NÃO VAMOS DESISTIR....
Aldemir Martins ( Alemão)
Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas de São Paulo
29147372 92923589



Protesto contra a proibição de circulação de motocicletas em São Paulo, imposta a todos os motociclistas pelo Prefeito Gilberto Kassab!!! - 31/03/2010

Alemão no centro de São Paulo - Fotografo - Paulo Fischer

Obrigado ao diretor do Sindiquimico/SP Geraldo! - Fotografo - Paulo Fischer

Obrigado a todos os Trabalhadores Motociclistas! - Fotografo - Paulo Fischer
Obrigado a todos os Motociclitas! - Fotografo - Paulo Fischer


CCT - A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009 / 2010

Encontra-se disponível em nossa Sede Social a CCT - CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO vigência 2009 / 2010 Para informações, ligar para (11) 2914-7372
Aldemir( Alemão) Pres. do SINDIMOTO\SP | Antonio José Pres. do SEMMEC


Principais conquistas da CCT desde dez 2009/10:

- Piso salarial aos trabalhadores motociclistas empregados (Celetistas): R$850,00

- Locação da ferramenta do trabalhador (Motocicleta): valor negociado entre as partes, não podendo a locação ser inferior a um salário mínimo.

- Vale alimentação: R$9,20

- Comissão de conciliação prévia: (CCP)

- Participação dos lucros e resultados: (PLR)

- Jornada diária: 07:00 Horas

E muito mais conquistado com muita luta e dedicação dos trabalhadores motociclistas firmado e acordado com o setor patronal através de seu sindicato patronal - SEMMEC



SINDIMOTO/SP O único representante da categoria dos TRABALHADORES MOTOCICLISTAS EMPREGADOS de São Paulo

PODER JUDICIÁRIO
JUSTIÇA DO TRABALHO
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO
Processo/Ano: 628/2008 Comarca: São Paulo - Capital
Data de Inclusão: 28/11/2008 Hora de Inclusão: 13:35:41
TERMO DE AUDIÊNCIA

Processo n.º 00628-2008-090-02-00-5

Aos 14 dias do mês de novembro de 2008, às 17:05 horas na sala de audiências da 90.ª Vara do Trabalho de São Paulo, pelo Juiz do Trabalho, Dr. PEDRO ALEXANDRE DE ARAÚJO GOMES foram apregoados os litigantes:

SINDICATO DOS TRABALHADORES MOTOCICLISTAS EMPREGADOS NO TRANSPORTE DE PEQUENAS CARGAS E VOLUMES MEDIANTE A UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS E MOTONETAS DA CIDADE DE SÃO PAULO - SINDIMOTO, autor.

MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, réu(s).
veja a integra da SENTEÇA JUDICIAL


18 de Janeiro de 2010

Veja as fotos



Conforme já noticiado o Sindicato dos Mensageiros Motociclistas, Ciclistas e Mototaxistas do Estado de São Paulo, tentaram realizar uma Assembléia Geral para fins de eleger uma Junta Governativa para o Sindimoto.

Dessa forma ajuizamos uma ação na 43ª Vara do Trabalho de São Paulo, processo nº. 52/2010, na qual o Juiz Federal, com extrema sabedoria afirmou que o legitimo representante da categoria dos Motoboys empregados é o nosso Sindicato, baseando na decisão judicial da 90ª Vara do Trabalho dessa cidade.

Ademais, foi fixada multa de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) caso o Sindicato dos Mensageiros descumprisse a Ordem Judicial.

Contudo os trabalhadores permaneceram unidos e preparados, visto que, mais de 150 (cento e cinqüenta) trabalhadores compareceram na Sede Social para fins de ratificação da eleição já realizada em 04 de novembro de 2009.

A categoria profissional dos trabalhadores empregados em empresas de transporte de pequenas cargas e volumes mediante a utilização de motocicletas e motonetas da cidade de São Paulo são representados somente pelo nosso Sindicato.

A Decisão Judicial mais uma vez confirma que este Sindicato é o ÚNICO REPRESENTANTE da categoria.

Sindicato dos Mensageiros e o seu laranja que assinou o edital, desistiram da aventura.

Neste dia 18/01/2010 não compareceram os representantes do Sindicato dos Mensageiros que patrocinaram a publicação do edital de convocação da fraudulenta Assembléia, visto que os mesmos foram intimados por Oficial de Justiça da proibição Judicial e afixação da multa de R$ 20.000,00 (vinte mil reais).

Essa foi mais uma grande vitória do Sindimoto e de todos seus associados.
FORA OS ESTELIONATÁRIOS E SINDICATO GOLPISTA!!!

Veja o Documento Oficial



Diretoria eleita para o mandato 2009 - 2013 - Veja as fotos


Veja mais fotos



No dia 4 de novembro de 2009, houve a realização do pleito sindical na Sede Social do SINDIMOTO, na qual compareceram e votaram centenas de trabalhadores associados, garantindo assim a consolidação de um sindicato de luta, democrático, de massas e de efetiva participação da categoria.

A posse da nova diretoria ocorreu no dia 18 de dezembro de 2009, cujo evento marcou o início da nova gestão sindical, a qual promete muita luta e organização da categoria, no exercício do mandato sindical do quadriênio 2009 – 2013.

A primeira ação sindical da nova Diretoria, foi o encaminhamento da pauta de reivindicações para os sindicatos patronais, visando a celebração da CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, para fins de garantir conquistas salariais e melhores condições de trabalho, segurança e vida digna para toda a categoria.

NOTA DO DEPARTAMENTO JURIDICO

O SINDIMOTO, ESTÁ SENDO VÍTIMA DE UM GRUPO LIGADO AO SINDICATO DOS MENSAGEIROS DO ESTADO DE SÃO PAULO (ENTIDADE DERROTADA NA JUSTIÇA DO TRABALHO, VIDE PROCESSO 00628-200809002005), QUE PROMOVERAM A PUBLICAÇÃO DE EDITAL NO JORNAL “O ESTADO DE SÃO PAULO, PÁGINA B 11 EDIÇÃO DO DIA 10 DE JANEIRO DE 2010.”, CONVOCANDO A CATEGORIA PARA ASSEMBLÉIA GERAL, COM TODA MÁ FÉ E PRETENSÃO DE ELEGER UMA "JUNTA GOVERNATIVA" NO SINDIMOTO.

ESCLARECEMOS A TODA A CATEGORIA QUE A ELEIÇÃO SINDICAL FOI DEVIDAMENTE REALIZADA EM NOVENBRO DE 2009, PORTANTO O REFERIDO EDITAL NÃO POSSUI NENHUM AMPARO LEGAL OU ESTATUTÁRIO, TRATANDO-SE APENAS DE MAIS UM GOLPE DAQUELES QUE PERDERAM A AÇÃO JUDICIAL DE REPRESENTATIVIDADE E ILEGALMENTE CONTINUAM ARECADANDO RECURSOS FINANCEIROS DOS TRABALHADORES MOTOCILISTAS, PRATICANDO ASSIM, APROPRIAÇÃO INDÉBITA E ENRIQUECIMENTO ILICITO.

RESALTAMOS QUE AS MEDIDAS JUDICIÁIS JÁ FORAM TOMADAS, VISTO QUE O EDITAL NÃO É ASSINADO POR NENHUM ASSOCIADO, BEM COMO, FOI PAGO PELO SINDICATO DOS MENSAGEIROS DO ESTADO DE SÃO PAULO.

A LUTA CONTINUA!!! Trabalhador não se deixe enganar por estelionatários!!!

A Diretoria







SINDIMOTO/SP no Altas Horas

Aldemir Martins de Freitas (Alemão), Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas de São Paulo, em entrevista na Rede Globo









NOTA A IMPRENSA
UMA VITÓRIA para todos os motociclistas do BRASIL!

São Paulo, 31 de janeiro de 2008
O SINDICATO DOS TRABALHADORES MOTOCICLISTAS EMPREGADOS DE SÃO PAULO PROTOCOLOU DIA 30/01/2008 AÇÃO CIVIL PÚBLICA PEDINDO ANULAÇÃO DO AUMENTO ABSURDO DE 38% DO DPVAT (SEGURO OBRIGATÓRIO) PARA MOTOCICLETAS

O SINDICATO DOS TRABALHADORES MOTOCICLISTAS EMPREGADOS NO TRANSPORTES DE PEQUENAS CARGAS E VOLUMES MEDIANTE UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS E MOTONETAS DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO - SINDIMOTO/SP protocolou na data de 30/01/2008 na Justiça Federal, Vara da Seção Judiciária de São Paulo, AÇÃO CIVIL PÚBLICA contra a cobrança de 38% de aumento no Imposto por Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) para as motocicletas. Aumentos que nos últimos 4 anos foram de aproximadamente 190%. Para o presidente do Sindicato, Aldemir Martins (O Alemão), uma pergunta precisa ser respondida: Onde estão sendo aplicados os recursos provenientes desta arrecadação nestes últimos 4 anos, que acumulados são bilhões de reais?

Como instituição que sempre defendeu os legítimos direitos dos trabalhadores motociclistas, não poderíamos permitir que este aumento abusivo venha onerar não só os trabalhadores motociclistas, mas aqueles que utilizam as motocicletas para se deslocarem ou como meio de transporte alternativo. Vale ressaltar que, na data de 28 de janeiro de 2008, o nosso presidente enviou oficio ao Ministro das Cidades Senhor Marcio Fortes, solicitando a liberação de recursos provenientes do FUNSET (Fundo Nacional de Segurança do Trânsito - 5% das multas aplicadas no Brasil/Artigo 320 CTB) para a implementação e construção das MOTOVIAS nas marginais em São Paulo, visto que na data de 30/01/08 ( terça-feira), o Secretário de Transportes de São Paulo Alexandre de Moraes recebeu em mãos através da Diretoria desta entidade, bem como do engenheiro responsável, cópia do projeto e de sua viabilidade técnica da pista exclusiva denominada MOTOVIA reivindicação permanente na pauta de luta dos trabalhadores motociclistas da cidade de São Paulo.

Lembramos que, das multas arrecadadas da cobrança, do DPVAT (SEGURO OBRIGATÓRIO) e do FUNSET não existe até hoje um centro médico especializado para os acidentados com motocicletas, cursos de educação para o trânsito, motovias, entre outros benefícios. Somente a título de informação, o DPVAT era de R$87,27 em 2004, agora em 2008 é de R$254,16. . A DIRETORIA
Aldemir Martins (O Alemão)
PRESIDENTE


SINDICATO DOS TRABALHADORES MOTOCICLISTAS EMPREGADOS NO TRANSPORTES DE PEQUENAS CARGAS E VOLUMES MEDIANTE UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS E MOTONETAS DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO - SINDIMOTO/SP



NOTA AOS TRABALHADORES MOTOCICLISTAS, A IMPRENSA E A POPULAÇAO DA CIDADE DE SÃO PAULO
São Paulo, 20 de janeiro de 2008
O SINDICATO DOS TRABALHADORES MOTOCICLISTAS E EMPREGADOS NO TRANSPORTES DE PEQUENAS CARGAS E VOLUMES MEDIANTE UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS E MOTONETAS DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO - SINDIMOTO/SP devidamente inscrito no M/F CNPJ 04.847.559/0001-02 e pedido de Registro Sindical publicado no dia 9 de agosto de 2006 no Diário Oficial da União, número 152 com processo de Registro Sindical sob nº 46.000.2072/2002-02-02 no Ministério do Trabalho e Emprego - SRT - CNES vem esclarecer à população da cidade de São Paulo e a imprensa que o SINDIMMESP (Sindicatos dos Mensageiros Motociclistas Ciclistas e Autônomos no Segmento Mototáxi), conforme consulta realizada em 17/01/08 tem sua denominação sindical simplificada declarada como SINDIMMESP e não SINDIMOTO, ressaltamos que o uso da denominação do nome SINDIMOTO/SP vem causando sérios transtornos a nossa imagem, uma vez que o SINDIMOTO/SP foi fundado em julho de 2001, fruto da vontade dos trabalhadores motociclistas que nunca foram representados pela referida entidade acima citada, e não atendia os anseios da classe trabalhadora. De acordo com Portaria 343/2000 é permitido aos trabalhadores se desmembrarem e fundarem um sindicato específico (profissional) para representar seus anseios trabalhistas, uma vez que não se sintam representados.

A entidade SINDIMMESP que alega ser nosso representante fundada em 93, nunca protocolou na Delegacia Regional do Trabalho de São Paulo (DRT/SP) uma Convenção Coletiva de Trabalho, conforme documento em nosso poder, fornecida pela mesma no ano de 2007. Esta entidade que se auto-intitula representante dos trabalhadores motociclistas, na verdade por direito deve representar apenas os trabalhadores autônomos, conforme consulta realizada sob número 411535/16/05/06 em despacho do Ministério do Trabalho e Emprego (M T E) em 13/09/2000, onde se lê, "alteração não é possível, o interessado está misturando uma categoria de autônomos com categoria profissional "empregados". Consta ainda, em 06 de junho de 2006 em consulta de CNPJ que o nome fantasia não existe para a mesma, sendo denominada apenas como nome "empresarial", "Sindicato dos Mensageiros Motociclistas do Estado de São Paulo". Novamente, em consulta realizada sob o número 90748 no M T E, aponta que o mesmo não poderia representar a categoria dos empregados, ou seja, aqueles que mantém vinculo empregatício com empresas de motoboys. Estranhamos o fato de o SIMDIMMESP usar a nossa nomenclatura e através de declarações à imprensa, induzir a população e os trabalhadores ao erro. Usando tais argumentos para transformar os trabalhadores em "massa de manobra política", para prejudicar todo o trabalho de nossa entidade, que diga-se de passagem já se desmembrou por não sermos trabalhadores autônomos e sim empregados celetistas, conforme legislação em vigor e respectivas portarias.

Quanto ao fato de constarmos na FAPESP como Sindicato dos Motoboys do Município de São Paulo deve-se ao fato da internet requerer nomes práticos para suas buscas, portanto, para tal, o SINDIMOTO/SP constava até o ano de 2004 registrado sob esse nome Em reunião foi decida alteração posteriormente para: www.motoboy.org.br. Devido aos trabalhadores e motoboys Acessarem nosso site e também pelo fato de que a denominação "motoboy" tornaria mais fácil com vem tornando o seu acesso, o que está provado na prática.

O SINDIMOTO/SP se sente agredido e usado por pessoas inescrupulosas que visam induzir a população ao erro, tão somente preocupada com a aproximação das eleições municipais e por isso vem esclarecer que:
?A nossa entidade sempre lutou e defendeu os interesses dos trabalhadores da cidade São Paulo, entre nossas conquistas, ressaltamos a criação de motovias, "faixas exclusivas", reivindicação permanentes desde 2001;
? Profissionalização da categoria;
?Recolocação dos trabalhadores acidentados nas empresas que prestavam serviço;
?Elaboração da primeira CCT - Convenção Coletiva de Trabalho, junto ao SIMPRES (Sindicato das Pequenas Empresas do Estado de São Paulo).

Outros destaques
?Proibição de rádios e celulares;
?Proibição do uso de mochilas, visando diminuir os problemas de coluna e lombalgia;
?A exigência do curso de direção defensiva aos profissionais;
?Registro em carteira e piso definido;
?Expediente de no máximo 6 horas (a discutir);
?Criação do banco de horas;
?Uso de protetores nas pernas e roupas especializadas para a profissão (EPIS)
?Vale refeição;
?Vale almoço;
?Pagamento de locação da motocicleta ao trabalhador;
E uma série de conquistas da categoria, que podem ser conferidas em nossa sede.

Portanto, a nossa entidade não visa ser a única representante, mas a legítima. E que de acordo com a legislação em vigor e nosso histórico de luta, representante dos trabalhadores que mantêm vínculos com empresas de entregas rápidas, independente de estar com a carteira registrada ou não, pois quem deve fiscalizá-la é a DRT/SP ou MPT, que por sinal já recebeu representações para investigar o tal SINDIMMESP e nada fez.

Quanto ao fato das reivindicações ao aumento do DPVAT a nossa entidade deverá nas próximas horas protocolar uma Ação Civil Pública visando derrubar ao aumento absurdo de 38% neste último reajuste para as motocicletas, mas não na Câmara nos Vereadores de São Paulo (sic). Iremos também protocolar ofício junto à Procuradoria Geral do Estado de São Paulo, para apurar com o devido rigor as circunstâncias envolvendo o trabalhador motociclista "FIRMINO BARBOSA", assassinado com 11 tiros pelo promotor Pedro Baracat Guimarães.

Em relação à proibição de "carona", entendemos que além de ferir o direito a propriedade, garantido pela Constituição Brasileira, trata-se de uma medida eleitoreira do vereador Jooji Hato, pois o "problema" dos roubos e assaltos é de segurança pública e não as motos, principalmente as de baixa cilindrada, que os trabalhadores usam para deslocarem-se e também como instrumento de trabalho.

Em relação à norma 219 do DENATRAN, tal medida não atingirá a nossa categoria, mas sim a dos autônomos - SINDIMMESP que receberam alvarás da Prefeitura de São Paulo, apenas eles, por volta de 3.500 trabalhadores cadastrados no Departamento de Transportes Públicos (DTP/SP), os demais trabalhadores motociclistas são regidos pela CLT e CCT, não cabendo interferência ou ingerência do poder público em qualquer esfera.

Quanto à proibição das motos nas Marginais, entendemos que tal medida irá apenas transferir o volumes das motos e os acidentes para a pista local. O certo é criar uma motovia na pista expressa da Marginal e a abertura de cursos gratuitos para motociclistas profissionais, o que ajudaria e muito, ao invés de cobrar 15 reais para o mesmo. Aliás, já temos o modelo da pista exclusiva (motovia) bastando tão somente o prefeito nos receber para que, possamos entregar-lhe.

Finalizando, o SINDIMOTO/SP (SINDICATO DOS TRABALHADORES MOTOCICLISTAS E EMPREGADOS NO TRANSPORTES DE PEQUENAS CARGAS E VOLUMES MEDIANTE UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS E MOTONETAS DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO) comunica que a paralisação prevista para o dia 22 próximo foi suspensa mediante a abertura e convite da Secretaria Municipal, de Transporte, oficio 035/08 e também pela manifestação anterior, onde foi utilizado indevidamente e de má fé a nossa sigla, causando transtornos à população que não pode pagar pela irresponsabilidade dos dirigentes da AMM e do SINDIMMESP.

Em momento algum aceitaremos a proibição de manifestarmos nossos direitos e protestamos, até porque, já o fizemos diversas vezes no passado quando houve necessidade, no entanto, não podemos colocar em risco a vida dos trabalhadores e prejudicar a população de São Paulo em prol de interesses obscuros de centrais sindicais e políticos,visando apenas as eleições municipais deste ano

No mais, agradecemos e pedimos desculpas aos motociclistas que aguardavam a nossa concentração no dia 22/01/08 deixando claro que, as medidas em relação às reivindicações serão tomadas nas próximas horas, bem como população e imprensa será comunicada.

A DIRETORIA Aldemir Martins (O Alemão) PRESIDENTE SINDIMOTO/SP

sindicato@motoboy.org.br






Só 2% dos motoboys cadastrados
O ESTADO DE S. PAULO 19/08/07 - METROPOLE
Sancionada em 2005 e já esquecida, Lei do Motofrete exige registro na Secretaria Municipal de Transportes
Veja mais



VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO
O ESTADO DE S. PAULO - 19/08/07 - METROPOLE
Em uma semana, 591 acidentes com motos



Por R$ 6 a hora, 100 km diários
O ESTADO DE S. PAULO - 19/08/07 - METROPOLE
Sem direito a benefícios, motoboys aumentam a produtividade das empresas; em SP, são entre 150 mil e 300 mil
Veja mais




Aldemir Martins (O Alemão) e o cantor " VENTANIA", em São Tomé das Letras-MG




Motoboys terão mais restrições para rodar.
Prefeitura lança pacote de leis para motoboy Objetivo é aumentar fiscalização e melhorar as condições de trabalho





 



 



 



Diário de São Paulo - 30 de julho de 2007.
REGRAS PARA MOTOBOYS
Lei barra moto com mais de 8 anos na capital

Os motoboys da capital não poderão rodar com motos com mais de 8 anos de fabricação. Também não será permitido que os motociclistas autônomos que fazem transportes de mercadorias usem veículos em nome de outras pessoas. Será exigida ainda uma apólice de seguro de vida para que a licença de trabalho seja concedida. As três determinações fazem parte de um projeto do vereador Adolfo Quintas (PSDB) transformado em lei pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM) ao ser publicado no último sábado do "Diário Oficial da Cidade". O texto define uma série de regras para a atividade de motofrete tanto autônomos como de empresas na cidade.
"O projeto é inócuo porque tudo que ele determina está em um decreto de 2005 da Prefeitura que não é cumprido", afirmou Aldemir Martins, o Alemão, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas da Cidade de São Paulo.
Assessoria de Imprensa SINDIMOTO/SP




Resolução 219 prorrogada para 01 de janeiro de 2008
O Conselho Nacional de Trânsito (Contran), através da Deliberação 58, prorrogou para o dia 01 de janeiro de 2008 a entrada em vigor da Resolução 219. As normas deverão ser cumpridas por condutores que realizam o transporte remunerado de carga em municípios onde a atividade foi regulamentada pelo poder público. Segundo a Resolução, a motocicleta deverá possuir placa de identificação na cor vermelha, o baú ou a grelha deverá atender as dimensões definidas na lei e o condutor terá que utilizar colete com faixas retrorefletivas e fluorescentes.
Assessoria de Imprensa SINDIMOTO/SP




1º Seminário Internacional: Previdência, Informalidade e Inclusão Social – São Paulo - Milão




Novas leis do Contran: agora é pra valer!

No próximo dia 28, entra em vigor mais uma resolução do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) para os motociclistas brasileiros.




Você como motorista:
E aí vão algumas dicas importantes do guia de orientação aos usuários dos serviços de motofrete.




É CAMPEÃO!!! É CAMPEÃO!!! SINDIMOTO/SP VENCE TORNEIO DE FUTEBOL NA CIDADE DE SUMARÉ/SP

Veja mais fotos



Doméstica e motoboy terão mínimo de R$ 410
Agora São Paulo - 26/04/07
GRANA
SERRA APRESENTOU ONTEM O PROJETO DE LEI QUE CRIA O SALÁRIO MÍNIMO ESTADUAL. PISO VARIA DE R$ 410 A R$ 490, DE ACORDO COM A CATEGORIA


SP quer multar moto que circula entre carros
Agora São Paulo - 24/04/07
S.PAULO Agora - Página A-4
PRFEITURA PEDIU A ÓRGÃO NACIONAL QUE REGULAMENTE A PROIBIÇÃO. PESQUISA MOSTRA QUE, EM 75 MORTES, 52% DOS MOTOQUEIROS ANDAVA ENTRE OS CARROS


Pedágio de Volta na Dutra
Agora São Paulo - 24/04/07
S.PAULO Agora - Página A-4

A NovaDutra volta a cobrar pedágio de motociclistas na rodovia Presidente Dutra entre as capitais de São Paulo e Rio de Janeiro. A cobrança será feita em cinco praças, tanto na ida quanto na volta, com valores de R$ 1,60 a R$ 3,70 (veja quadro). Por decisão da empresa, o pedágio de motos não era cobrado desde 1997.


Motociclistas agora terão de pagar pedágio na Dutra
Cobrança começa no próximo dia 24, após quase 10 anos de isenção pra as motos.
Valor do pedágio deve variar de R$ 1,60 a R$ 3,70; alegação é que houve aumento no tráfego desse veículo na rodovia


Folha de São Paulo -24/04/07 - Caderno Cotidiano
Município consultou Conselho Nacional de Trânsito quanto à possibilidade de autuar motociclista que circula em corredor estreito
ALENCAR IZIDORO
DA REPORTAGEM LOCAL


Sindicato de motoboys quer proibir celular viva-voz
Trânsito Terça, 17 de outubro de 2006, 10h20


Motoboys reprovam Faixa Cidadã
Pesquisa mostra que mais de 90% da categoria criticam corredor exclusivo BRUNO TAVARES, bruno.tavares@grupoestado.com.br


Contra Marta, "exército" de 200 mil motoboys vira alvo de Maluf e Serra
8/8/2004
CATIA SEABRA
Folha de S. Paulo


Agora São Paulo - 11/04/2007
SE CUMPRIR A LEI
Empresa de motofrete ganha selo de qualidade


Moto vai pagar pedágio


VIA DUTRA - Cobrança que começa no dia 24 fará viagem ao Rio custar R$ 14,50; e motociclistas já ameaçam fazer manifestações contra a medida
Veja materia




Faixa Cidadã


Aldemir (O Alemão), presidente do Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas da Cidade de São Paulo (SINDIMOTO/SP), debate sobre o assunto.
Veja o Video.




A voz do Motoboy.


Se preferir faça o download em formato MP3 clicando aqui



Parceiros

























Rua Coronel Diogo, 1496 CEP: 01545-001 - Jardim da Gloria - SP | Telefone: (11) 2914-7372
Copyright © 2005 - 2005 Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas da Cidade de São Paulo


Desenvolvido por Internet com Arte